Fazer Café em Casa

Esses dias um cliente fiel aqui da BEN perguntou pra gente “por que o café coado lá de casa nunca fica gostoso igual os de cafeteria?”. E pra falar a verdade, a pergunta é tão boa que resolvemos fazer um guia rápido pra quem quer ter um café gostoso de verdade em casa. 

São vários os fatores que podem influenciar no sabor final da bebida, do café escolhido à temperatura da água. Então prepare as anotações e vem com a BEN porque tem até DIY no final desse post!

Comece pelo café

A jornada por um café gostoso começa muito antes de ferver a água. Isso porque o sabor da bebida depende diretamente da qualidade do café que você escolhe. 

Via de regra, cafés tradicionais, feitos por grandes marcas em escala industrial, possuem uma qualidade muito inferior e uma torra escura que mascara os defeitos dos grãos, dando lugar a um amargor intenso e aquele clássico (e indesejável) gosto de queimado.

Aqui mesmo no Blog da BEN tem um post sobre a diferença entre os cafés tradicionais e cafés especiais, onde contamos um pouco sobre a amplitude de qualidade do café (que você pode ler aqui).

Mas pra resumir essa novela.

Busque por café em grãos, com uma data de torra de no máximo 1 semana, e com uma torra média para manter as características do grão. À partir daí você pode ir experimentando e provando cafés diferentes para descobrir qual seu favorito!

Moer ou moído?

O grão de café é uma pequena cápsula que armazena gases e óleos sensíveis em seu interior, evitando a oxidação e mantendo o café fresco por mais tempo.

Moer o café na hora, além de ser um ritual gostoso que deixa a experiência de fazer um café muito mais íntima, é crucial para garantir a maior complexidade de sabores possível na xícara, e é isso que a gente quer né?

Moer o café na hora é crucial

Se você quiser entender um pouco mais sobre o que acontece quando a gente mói o café, é só dar uma olhadinha nesse Post da BEN sobre moer o café na hora.

Cuidados com a água

Se pra xícara vai só água e café, seria um grande erro negligenciar a água. Pode parecer óbvio, mas aquele gostinho de “água da torneira” pode influenciar e muito no sabor da sua bebida. Dê preferência para água mineral ou, ao menos, filtrada. O objetivo aqui é ter uma água inodora, incolor e insípida. 

A água fervendo também pode ser um problema, a temperatura excessiva leva à sobrextração, o que intensifica o amargor e pode arruinar a bebida. A temperatura ideal varia levemente de acordo com a torra, mas a janela entre 92 e 94°C é uma aposta segura pra um café gostoso. 

Os Métodos

Agora vem a parte que enche os olhos de qualquer um que visita uma cafeteria: os métodos de extração!  

Escolher um método pra chamar de seu não é brincadeira, métodos diferentes enfatizam características diferentes na bebida e são capazes de mudar completamente o sabor final do café. Por isso é importante provar um pouco de tudo e ler sobre os métodos do seu interesse pra saber qual mais se encaixa no seu paladar.

Mas a existência de tantos métodos não significa que o Melitta nosso de cada dia não seja capaz de extrair boas bebidas! Se você tem uma chave de fenda, fogo e um pouco de coragem, a BEN te ensina como fazer o seu Melitta ficar digno dos melhores cafés especiais.

Um dos maiores problemas do método Melitta é o amargor intenso causado pelo baixo fluxo de água, levando à sobrextração. Pra resolver grande parte desse problema basta fazer mais dois furinhos na canaleta do fundo, assim mais água pode passar e você garante uma bebida mais complexa e menos amarga!

Agora que você está informado, é só escolher o café e ser feliz!
E se você quiser bater um papo e entender mais sobre o mundo dos cafés especiais, estamos te esperando aqui na BEN 🙂

Gostou? Então nos ajude a crescer!

Compartilhar no facebook
Share on Facebook
Compartilhar no twitter
Share on Twitter
Compartilhar no linkedin
Share on Linkdin
Compartilhar no pinterest
Share on Pinterest

Deixe um comentário!